Campanha “Setembro Amarelo” em Juripiranga alerta para casos de suicídio.

Em todo o país, profissionais em saúde reservam o mês de setembro para debater e promover ações de orientação e prevenção contra o suicídio, um tema complexo e que ainda é tabu para uma boa parte da sociedade.

Intitulada de “Setembro Amarelo”, uma grande mobilização é promovida em todo o país para tentar conscientizar a população sobre o tema e assim, diminuir os casos de suicídio que segundo dados recentes da OMS – Organização Mundial de Saúde, se estima que ocorram no Brasil, cerca de 12 mil suicídios por ano. Na Paraíba, segundo dados do SIM – Sistema de Informação de Mortalidade – do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2017, o número de casos cresceu 42%, pulando de 150 para 213 ocorrências registradas pelo DATASUS.

Mesmo levando-se em conta a complexidade do tema, a Prefeitura de Juripiranga, através da Secretaria de Saúde do município, abre o debate com a campanha “Setembro Amarelo” com ações de conscientização voltadas para a comunidade escolar através de palestras educativas com profissionais da rede municipal de saúde, conversando com os alunos sobre o problema.

A programação do ciclo de palestras teve início nesta última quarta-feira dia 12 de setembro contemplando a turma do 9º ano da Escola Municipal Salvino João Pereira e a turma do 5º ano da Escola Municipal José Grimaudo Tavares. Através de palestras e mesas de conversas, os jovens alunos foram orientados sobre como devem se portar diante da constatação de um estado emotivo como este, tanto dos mesmos como de amigos e parentes próximos, para que se tome a melhor solução possível.

E o ciclo de palestras terá sua continuidade na próxima segunda-feira dia 17 de setembro, desta vez contemplando a turma do 1º ano do Ensino Médio da Escola Teonas da Cunha Cavalcante, onde os alunos terão a oportunidade de saber mais sobre o tema.

A ação objetiva preparar a população para identificar sinais por familiares e amigos tidos como de risco, auxiliando no diagnóstico e, consequentemente numa melhor assistência as pessoas envolvidas neste problema, fazendo também com que a opinião pública juripiranguense entenda que não se trata de apenas um ato para chamar atenção, mas da  consequência de um distúrbio mental que pode ser desencadeado por meio de vários fatores, daí a complexidade do tema e a necessidade da conscientização de toda a sociedade afim de evitar que mais pessoas cometam atos drásticos que possam lhe custar a vida.

Realização: Prefeitura de Juripiranga, Secretaria de Saúde do município.

 

 

COMPARTILHAR