Novos conselheiros tutelares de Juripiranga são empossados.

Na manhã desta sexta-feira dia 10 de janeiro, foram empossados os novos conselheiros tutelares do município de Juripiranga eleitos no último pleito, para o quadriênio 2020/2023.

A cerimônia ocorreu no plenário da Câmara Municipal de Vereadores e contou com a participação do prefeito de Juripiranga, Dr Paulo Dália, do presidente da Câmara, Tiago Mariz, da secretária municipal de desenvolvimento social, Marta Marinho, da presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – CMDCA, Esita Elisabeth, da Articuladora do Selo Unicef, Rosilene Cândido, do advogado, Dr Geraldo Filho, que compuseram a Mesa Diretora da cerimônia, além de secretários e servidores municipais e a população em geral.

A presidente do CMDCA abriu a cerimônia, sendo sucedida pelas falas da secretária Marta Marinho, do prefeito Dr Paulo Dália e do presidente da casa legislativa municipal, Tiago Mariz. Todos enfatizaram a importância da função social do conselheiro tutelar no acompanhamento e proteção dos direitos da criança e do adolescente, ressaltando assim a grande responsabilidade que os novos conselheiros juripiranguenses terão pela frente.

Em seguida, os conselheiros tutelares eleitos e os suplentes discursaram firmando o compromisso de atuar pelo bem estar das crianças e adolescentes de Juripiranga, recebendo posteriormente o diploma de posse, sacramentando assim a função de conselheiro tutelar, de fato e de direito.

Tomaram posse na cerimônia os seguintes conselheiros e suplentes:

Élson Ismael Celestino da Silva
José Alex Livino da Silva
Wellington Faustino de Oliveira
Wagner da Silva Rodrigues
Alcione Maciel da Silva

Suplentes:
Alex Barbosa de Melo
Edna Alves de Andrade
Rayane Pereira dos Santos
Roberta Correia Nunes dos Santos
Danilo Anízio da Silva

Durante a cerimônia, também ficou definido que a escolha do Conselheiro Presidente ocorrerá num prazo de 30 dias.

O trabalho dos conselheiros é atender, acompanhar, fiscalizar e agir em situações em que os direitos de crianças e adolescentes estão sendo ameaçados ou violados — seja pela sociedade ou pelo Estado (como na falta de vagas em escolas ou tratamentos em hospitais), pela família ou pelo responsável (em casos de violência, abuso ou negligência), ou em razão de sua própria conduta (quando se trata de um jovem infrator ou de usuários de drogas ou álcool).

Um trabalho de grande responsabilidade, totalmente norteado pelos direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Realização: CMDCA – Juripiranga

Apoio: Prefeitura de Juripiranga. Juntos, construiremos uma cidade cada vez melhor.

COMPARTILHAR